Como é bom descansar

Nunca pensei que precisava tanto descansar. Poder acordar sem me preocupar com as obrigações do dia. A melhor parte talvez seja desligar o despertador quando ele toca, que sensação maravilhosa. E me pegar de pijama o dia inteiro é uma delícia. Não consigo explicar o quanto amo ficar em casa, na paz, no sossego. Poder colocar minha cabeça em ordem. Pensar em tudo que quero organizar na minha casa e até mesmo na minha vida.

Os dias são tão corridos que acabamos por deixar coisas importantes para depois por falta de tempo e as vezes de dinheiro e até de companhia em alguns casos. Mesmo sendo nova e não ter talvez experiência de vida ou qualquer outra coisa, já passei por coisas demais que me ajudariam a escrever uma bela história, quem sabe um best seller. Prezo muito ter minha liberdade, meu espaço, meus momentos para ficar sozinha e pensar e repensar tudo que já me aconteceu e o que devo fazer a partir daquele momento.

Podem achar que sou estranha e até mesmo antissocial, gosto de ficar imersa em meus pensamentos e me colocar na linha. Há quem diga que isso é uma bobagem sem tamanho. Mas é a mais pura verdade pra quem é confusa como eu. Porque é tão difícil entender que ficar isolado de vez em quando faz bem pra alma? É uma das coisas mais óbvias do mundo, ou estou enganada?

Só digo uma coisa: se por acaso tiverem oportunidade de terem esses momentos, aproveitem o máximo que puderem. Eles são raros e passam mais rápido do que imaginam. Pense bastante, tome decisões importantes, durma o quanto puder. E o mais importante de tudo: fique de pijama AHAHHAHAH!

 

Como lidar com abismos

Sou uma pessoa muito indecisa e posso dizer que extremamente confusa. Quando lido com situações constrangedoras, difíceis fico completamente sem chão. Cheguei a conclusão de que consigo resolver problemas alheios com a maior tranquilidade e segurança, quando se trata de mim mesma, viro uma máquina de desespero. Nunca sei por onde começar e muito menos saber o que devo fazer. Esses abismos ocorrem de tempos em tempos. Como se fosse um teste onde fico no Game Over!

Com o passar dos dias, logo depois de alguma coisa acontecer, fico pensando que poderia ter feito isto ou aquilo e resolver a situação. Mas isso é sempre depois né? Como uma briga de casal onde as melhores respostas são pensadas depois de tudo acabar. E o que dizer quando outras pessoas tentam se intrometer? Fico mais desorientada ainda. Me sinto como uma adolescente que ainda não nem o que vai comer no almoço da escola. Venho tentando me descobrir mais é super complicado e mais complexo do que eu imaginava.

São em momentos assim que preciso de ajudas de todos os lados. Quanto mais ajuda, melhor, as pessoas acabam me colocando no caminho certo e vou me acalmando aos poucos. Me sinto tão frustrada por ser assim as vezes, parece que nem mesmo adulta eu me tornei para resolver meus problemas sozinha. É como se eu fosse dependente de algo que não pode me abandonar.

É como se algo fosse bloqueado na hora de resolver coisas realmente importantes em minha vida. Como lidar com isso? Com esse abismo que se torna cada vez maior com o passar do tempo. O que posso fazer para tentar me acalmar e conseguir ser madura em todas as situações? Nada disso possui uma fórmula e eu sei disso.

Mas se tivesse, eu tenho certeza que ia não só me ajudar, como ajudaria milhares de pessoas que passam pelo mesmo que eu. Parece uma crise de identidade que fica reclusa em algum cantinho, e quando vê uma oportunidade, não consegue não se intrometer de alguma forma. Pensa em uma pessoa que chora descontroladamente em situações ruins…sou eu! Mas provavelmente, e eu sei disso, que um dia poderei rir de cada situação que me descabelou e descontrolou. Força gente!!

 

Descobrindo Novos Sentimentos

Quando acontecem coisas ruins e até mesmo coisas boas é que vemos o quanto somos sensíveis e surpreendentes. Esses dias para trás aconteceu uma coisa bem ruim comigo e descobri que sou uma pessoa que pode chorar por horas sem parar e me sentir completamente impotente e chateada. São em situações assim que vemos como a vida é frágil e suscetível a tudo que podemos imaginar. Pode perceber que as coisas ruins acontecem inesperadamente e nos deixam completamente desnorteados e sem rumo.

Quando tomei consciência do que tinha me acontecido, fiquei completamente chateada e triste. Não podia acreditar que tinha sido comigo, que realmente fui vítima de pessoas tão ruins. Podem ter roubado apenas meu celular, mas trabalhei muito para comprá-lo. Dei duro todo mês par apagar as prestações. E por incrível que pareça, isso me fez pensar em como tudo muda realmente de uma hora para a outra. Tive que adiantar atitudes que estavam planejadas para daqui à alguns meses.

De alguma forma isso me fez pensar bastante, e valorizo muito o que trabalhei para comprar. Independente do que seja. Estou me tornando independente e conquisto meus objetivos aos poucos. Isso me faz ser um ser humano em evolução. A cada dia me vejo de uma forma diferente, pensando diferente e até mesmo agindo de acordo com cada situação. Me decepciono profundamente com algumas coisas, mas os sentimentos são assim em mim, fortes, loucos, insanos, profundos.

Mas isso é meio impossível de se descrever. Sentimentos existem para serem sentidos e talvez demonstrados de alguma forma, e não é na escrita em alguns casos. Apesar do que me aconteceu nos parágrafos anteriores, estou seguindo em frente. Fiquei abalada, óbvio, mas são nessas situações que paramos para refletir e decidir qual será o próximo passo. Não podemos deixar tudo de lado por algo ruim que nos assola. Vamos em frente!

O que a falta de luz faz!

Quanto mais eu penso que a vida pode estar entrando nos eixos, mais acabo me surpreendendo com coisas inimagináveis. Descobri hoje que tenho pavor de quando chove e a luz acaba, me bate um desespero que nem sei como explicar. Ficar no escuro pode ser apavorante dependendo das circunstâncias. Comecei a pensar em tudo que já me aconteceu durante toda a minha vida enquanto esperava a luz voltar para tomar um banho e dormir. Refiz toda a minha trajetória até aqui e reparei que sim, passei por tanta coisa que fica impossível explicar e talvez eu consiga escrever o livro com tudo.

Acabar a luz durante a noite é uma coisa terrível. Ficamos vulneráveis, é impossível fazer qualquer coisa. As lanternas nem sempre funcionam nesses momentos derradeiros. Tentei ler para relaxar e ajudar o tempo a passar e não dá. Acabei ficando sem internet, sem conversar, minha família foi dormir e eu só consiga pensar e pensar. E com o restante de bateria de computador que me restou, resolvi escrever. Não durou muito e tive que finalizar no dia seguinte. Tentei pelo celular e a bateria também estava quase no fim.

Olhando pela janela e observando a reação dos vizinhos, percebi que não estou sozinha nesse medo bobo. Várias pessoas estavam na porta de casa, analisando a chuva e os estragos. Ouvimos barulhos estranhos e clarões no céu. Ficamos abismados, claro. Isso nunca aconteceu por aqui desde que me mudei há alguns anos atrás. Foram horas de tensão e para alguns pode ter sido de completo pânico. E claro, a chuva não diminuía e isso ficava cada vez pior.

Alarmes disparados, luzes de lanternas para todos os lados, pessoas nas janelas, vento muito forte, e tinham até algumas coisas leves voando. Esses avisos da natureza podem ser perigosos. E como uma pessoa que tem a mente completamente fértil, me peguei em devaneios eternos que me fizeram escrever. Espero que não tenha sido uma perda de tempo, pois realmente me ajudou. Sei que não sou a única que fica nesse apavoro quando chove, então, se acontecer isso com alguém, não se preocupe. Somos loucos juntos.

 

Será que sou uma sem rumo?

Fico pensando nisso algumas vezes no dia. Como será que é ter uma vida completamente planejada e programada? Me pergunto várias vezes se isso é realmente a melhor coisa a se fazer. E quanto mais penso, mais acho que nada disso parece funcionar para mim. Sou uma pessoa livre, que gosta de rotina, mas que também se sente presa quando regras e obrigações são impostas.

Vejo tanta gente que já sabe exatamente o que vai fazer que fico com medo. Porque nosso destino já deve ser traçado sem nem ao menos termos várias opções e experiência. Vivo cada dia por vez, tento não me surpreender demais ou me decepcionar mais ainda. Mesmo sendo nova, já passei por coisa demais, planejei demais e acabei quebrando a cara por isso.

Me sinto mesmo uma pessoa completamente sem rumo. E toda vez que essas incertezas batem, são os piores momentos possíveis. Talvez seja somente coisa da minha cabeça, minha indecisão de como devo levar a minha vida, mas eu realmente acho que não consigo me ver planejando algo para um futuro distante. Chega a ser errado pensar dessa maneira?

Não posso me imaginar vivendo de outra forma que não seja exatamente o que estou passando agora. Estou crescendo, amadurecendo, conquistando minhas coisas sozinha e acho que isso é o melhor que posso fazer por agora. Ainda vou me encaixar em algum modo de vida diferente, assim que descobrir quem eu realmente sou.

Esse caminho não é fácil e eu sei muito bem disso. Mas sei também que devemos passar por certas situações para entender outras e assim por diante. Crescer realmente é uma das coisas mais complicadas que já passei. Tenho muito medo e insegurança em relação a quem eu sou e a quase tudo que me rodeia. Independente de tudo, sei que sou forte e vou conseguir vencer todas as batalhas que me forem impostas.

Sobre se expressar

Com a volta do meu blog resolvi repensar algumas coisas da minha vida, como por exemplo…me expressar. Tenho passado por situações que não me deixam escolha a não ser, não fazer nada. Sou muito introspectiva e calada e isso acaba me afetando de forma bem negativa.Sou boa com palavras escritas, com pensamentos, com idéias mas nada boa na hora de falar, de apresentar minha opinião. Sei que isso é bem mal, mas de uns tempos pra cá tenho melhorado consideravelmente.

Não sei vocês, mas essa questão de expressar sentimentos em palavras é bem mais difícil do que consigo imaginar.Eu simplesmente travo na hora de falar e acabo me prejudicando em alguns momentos. Guardamos coisas demais com a gente, pensamentos pessoais, únicos e íntimos que preferimos preservar. Tem dias que preciso falar, gritar, cantar e me libertar de algumas coisas e me faz bem. Muito bem, por sinal.

É engraçado pensar que em certas situações nos tornamos os seres mais bobos do planeta não é mesmo?Então..se você é como eu e se sente melhor demonstrando sentimentos e opiniões na escrita, faça isso. O importante é ser quem você é. Eu sei que vai dar medo, vai ser bem apavorante, e isso faz parte da vida, acredite ou não.

Venho buscando esse crescimento desde que entrei para faculdade, desde que consegui meu primeiro emprego, desde que me tornei realmente uma adulta e tive que me virar sozinha em certas ocasiões. Na verdade, a leitura me ajudou de uma forma que nem consigo medir. Ela foi responsável pelo meu imenso crescimento na escrita desde os trabalhos de faculdade.

É visível que crescemos com nossas experiências. Somos seres que mudam o tempo inteiro. Então diga tudo que precisa ser dito. Exponha suas dúvidas e interesses para quem está ao seu redor. Vai ser melhor do que você imagina, eu garanto. Além disso, nunca deixe de sorrir.

Voltando ao normal

Oi pessoal. Tudo bem? Como todos sabem ou reparam, fiquei uns bons meses parada. Estava sem vontade de escrever, de gerar conteúdo. Fiquei realmente presa no meu mundo para refletir e enfim…não chegar a nenhuma conclusão. Ainda estou tão desnorteada como antes, ou até mesmo mais um pouco. Pensei que esse tempo ia me ajudar a colocar a cabeça em ordem, mas não foi isso que aconteceu.

Pensei, repensei a minha vida e não cheguei a conclusão nenhuma. Só que devia voltar a escrever para me ajudar com algumas situações. Esse tempo longe do blog me incentivou a ler mais, a começar a cuidar bem mais da minha saúde mental e física. Decidi que não posso ser a minha segunda opção de forma nenhuma. Isso é bem errado.

Não posso ficar me fazendo de coitada e esperar que as coisas se resolvam por si só. Não posso deixar as pessoas pisarem em mim e saírem ilesa por isso. Sou melhor e maior do que posso imaginar. E escrever faz parte de mim e acho que sempre vai fazer, mesmo que eu me esqueça disso. Apesar de ter ficado distante dos textos, eu acompanhava minhas visitas e mensagens de apoio e ajuda.

Agradeço por esse dom de escrever e por ter pessoas que valorizam tudo isso que tenho feito. É uma forma de me expressar e aliviar um pouco os milhares de sentimentos que alimentam minha vida e meus pensamentos. Vou procurar manter uma regularidade aqui no blog e sempre manter atualizado.

Com esse novo ânimo, espero que todos gostem desse retorno e que isso renda bons frutos. Vamos que vamos!